Friesland: um paraíso escondido no norte da Holanda, a 1h de Amsterdam

Sneek,. Friesland (Foto: Thais Sabino)

“Onde você vai ficar durante esse tempo?”, perguntou o agente de imigração no aeroporto de Amsterdam. “Em Friesland”, respondi. “O que vai fazer lá? Só tem gente estranha”, comentou. Meu destino era a pouco mais de uma hora da capital holandesa, ao norte, mas para o pessoal de “Zuid-holland” é como se fosse um mundo à parte. Bom, por um lado, o estado de Friesland é realmente um lugar diferente na Holanda: os Frisians têm uma língua própria – reconhecida oficialmente, portanto não é um dialeto -, são bem tradicionais e apaixonados por esse território cujo o símbolo me lembra um coração. Para eles, é no sul onde estão os estranhos.

Claro que toda essa divisão é uma grande brincadeira, do tipo Brasil e Argentina, e que no final das contas todos eles dizem “proost” em uma só voz. Certo?

A maioria dos viajantes estrangeiros não passa por Friesland, e muito provável faz cara de paisagem ao ouvir tal nome. Mas se você gosta de patinação no gelo, possivelmente já ouviu falar do Elfstedentocht, um tour de 200 quilômetros pelos canais congelados das onze cidades da província. Pessoas do mundo inteiro viajam para esse paraíso das águas no inverno por conta do evento. A má notícia é que não são todos os anos em que os termômetros baixam o suficiente para criar uma camada espessa de gelo. O último tour Elfstedentocht aconteceu em 1997.

Leeuwarden, Friesland (Foto: Thais Sabino)
Leeuwarden, Friesland (Foto: Thais Sabino)

Eu visitei as 11 cidades de Friesland durante o verão. O charme dos canais, da vida nos barcos de tamanhos e regalias diferentes, os vilarejos, as casinhas que parecem obras de arte (…), ah, me senti em um filme antigo. Friesland tem muito mais canais que Amsterdam e as cidades, embora contem com toda infraestrutura necessária, ainda conservam uma atmosfera de “vila”. Sneek, onde fiquei hospedada, recebe uma semana de festa no mês de agosto, a Sneekweek, com eventos nas ruas, performances e esportes aquáticos. É uma época animada e “veel gezellig” em Friesland.

Sneek tem cerca de 33 mil habitantes e é uma das principais cidades da província. É conhecida por seu Waterpoort, que é símbolo da cidade, e como destino para prática de esportes aquáticos. Leeuwarden é o maior município de Friesland e ganhou o título de a Capital Europeia de Cultura de 2018. Museus, o Olde Houv (uma torre inclinada estilo Pisa), restaurantes e galerias de arte estão entre as atrações de Leeuwarden.

Hindelopen, Friesland (Foto: Thais Sabino)
Hindeloopen, Friesland (Foto: Thais Sabino)

Hindeloopen tem um estilo antigo, é conhecida pela pesca e fica às margens do IJsselmer. Visitei as ruelas de pedra, caminhei pela margem do lago (prepare-se para o vento), almocei em um restaurante no centro histórico e explorei as lojinhas de antiquarias por lá. É considerada uma cidade, mas parece mais um vilarejo pequenino, a população não chega a 1 mil. A campeã em miudeza, porém, é Sloten. Cerca de 700 pessoas vivem lá, nessa cidadezinha de uma rua, contudo charmosa e cheia de flores no verão.

Harlingen, Friesland (Foto: Thais Sabino)

Passei um dia em Harlingen assistindo navios e barquinhos saindo e chegando ao porto, caminhando pelas ruas de pedra e curtindo a vista para a “praia holandesa”. Não tem mar azul, areia branquinha e o mar é meio lamacento, mas ainda assim é praia. Essas são as principais cidades, onde recomendo paradas para curtir o dia, mas cada lugar, mesmo que pequeno, tem uma história especial. IJist, Stavoren, Workum, Bolsward, Franeker e Dokkum completam a lista das 11 cidades. No verão, você pode percorrer o trajeto do Elfstedentocht de bicicleta, patins ou a pé. Veel Plezier!

Leeuwarden, Friesland (Foto: Thais Sabino)
Leeuwarden, Friesland (Foto: Thais Sabino)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *