Minha primeira viagem a Europa: 20 dias na Holanda

Viagem pela Holanda

Viajar para Europa antes dos 50 não estava nos meus planos. Minha prima Grati sempre falava “Tha, você tem que ir pra Europa”, mas nunca achei que tivesse esse perfil. Lugares como China, África do Sul, Laos, Paquistão, Havaí, esses sim dão brilho aos meus olhos. Minha resposta era sempre a mesma: “depois que eu cansar de viajar e explorar as belezas naturais desse mundão, aí sim vou tirar selfies na torre Eiffel, tomar sol em Barcelona e comer sem culpa em Nápoles”.

Bom, não fiz uma eurotrip por seis países em um mês, mas passei 20 dias na Holanda, conheci cada cantinho dessa terra das bicicletas e não é que adorei?! Visitei Friesland, onde se fala outra língua, as cidadezinhas do leste já perto da Alemanha, o centro da Holanda e, claro, a famosíssima Amsterdam. Minha primeira impressão da Holanda: quanta história! Quanta cultura! E quanta bicicleta! Amsterdam, por exemplo, tem mais bike do que gente, mais de 400 quilômetros de ciclovias, e estacionamentos de “fietsen” para todo lado.

Vitrine de croquete em Sneek, Holanda

Para mim, andar de bike sempre foi algo relacionado ao lazer: do tipo pedalar no final de semana pelo parque Ibirapuera ou ao longo da orla da praia. Na Holanda, é estilo de vida. Pessoas vão pedalando ao trabalho, não importa se estão vestindo terno, salto alto ou saia. Fazem despesa no mercado e carregam as compras na bike. Levam as crianças de um lado a outro, comem enquanto pedalam, checam a mochila (…) Uma coisa de louco! Se pretende usar esse meio de transporte durante a sua viagem, pode ir sem receio.

Outra coisa que também me chamou a atenção foi a vitrine de croquete takeaway. Você coloca uma moeda, a porta da vitrine destrava e, voilà, você pega o seu croquete crocante. Não que seja uma opção saudável de comida, mas vale a experiência. Como falei no começo, conheci lugares menos turísticos, excluídos dos mochilões pela Europa, e um deles foi o estado de Friesland. Lá, as pessoas falam outra língua, tem canais de água para todo lado e (quase) todo mundo tem um (às vezes mais) barco para se locomover e relaxar aos finais de semana. É como se fosse uma Veneza holandesa. Não que eu tenha visitado a cidade italiana, mas vi fotos, rs.

O clima

Viajei pela Holanda em pleno “verão”, mas passei poucas horas nesses 20 dias sem uma jaquetinha ou casaco leve. Faz calor lá, e ouvi locais me dizendo que na semana anterior à minha chegada os termômetros haviam atingido 30 graus, porém durante minha viagem o máximo que peguei foi 28 graus. O tempo muda várias vezes ao dia: chuva, sol, nublado, repete. O ventinho está sempre presente e a Holanda é definitivamente um país molhado. A vantagem é que se você viajar com holandeses, eles têm um aplicativo que mostra exatamente o horário em que a chuva e começa e termina.

 

A língua

Praticamente todo holandês consegue falar inglês, eles estudam a língua desde pequeninos. Cidades grandes como Amsterdam, Rotterdam e Utrecht são feitas para receber turistas e você não encontrará dificuldade para se comunicar em inglês. No entanto, eu saí da rota popular e visitei restaurantes com cardápio somente em holandês. Provavelmente, os garçons até conseguiriam falar inglês, mas como eu tinha holandeses para atuar como intérpretes, nem arriscaram trocar palavras comigo. Os holandeses sabem falar inglês, mas sempre darão preferência para conversar na língua nativa. Aprender algumas palavras antes de embarcar pode re ajudar na viagem.

Visto e documentos necessários

Nós, brasileiros, podemos passar 90 dias (renováveis por mais 90) viajando pela Europa sem a necessidade de solicitar visto com antecedência. Isso significa que você pode chegar a qualquer um dos 27 países membros da União Europeia, ganhar um carimbo no passaporte e viajar por eles durante três meses. É necessário apresentar comprovante de hospedagem, de passagem aérea de retorno ao Brasil, seguro e fundos para se manter viajando pela Europa. Programe-se para levar 60 euros por dia.

Aguardem os próximos posts sobre os lugares que visitei na Holanda!

 

 

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *