Perth: praias, arte e vida noturna na metrópole mais isolada do mundo

Elizabeth Quay, em Perth (Foto: Thaís Sabino)

Desde a primeira vez que pensei em “Austrália“, tive curiosidade para saber como era Perth. Há alguns anos, durante uma viagem pelo Chile, conheci uma brasileira que estava de mudança para lá. Até então, Austrália era um mundo totalmente desconhecido para mim, talvez por isso Perth tenha ficado na minha cabeça. Bom, como a maioria dos viajantes pela terra dos cangurus, escolhi conhecer toda a costa leste primeiro. Após quase um ano vivendo na Austrália, é que fui para a selvagem, exótica e intrigante costa oeste. Tão do outro lado, que até muda o fuso: Perth está três horas atrás de Melbourne.

Perth tem 1,2 milhão de habitantes, é a capital da Austrália Ocidental e foi considerada em 2014 uma das melhores cidades para viver no mundo, segundo a Lonely Planet. Paguei AUD 315 na passagem saindo de Melbourne, para um voo de pouco mais de quatro horas de duração. Fiquei hospedada no Billabong Hostel, que me custou AUD 480 para seis diárias no quarto de casal com banheiro. O hostel é bacana, tem área de convivência, salão de jogos, churrasqueira, piscina e aula de ioga.

Minha primeira impressão de Perth: os australianos realmente valorizam o estilo de vida por lá. O centro da cidade é arborizado, com ruas largas, restaurantes modernos e bonitões, arte na rua, lojas gigantes e boutiques bem decoradas, prédios espelhados e pessoas com um estilo hipster para lá e para cá. Perth é uma cidade viva, e por pura sorte cheguei à cidade no dia em que estava começando o maior festival de música e arte da capital da costa oeste australiana: o Fringe World Festival. Acontece anualmente entre janeiro e fevereiro.

O festival toma conta das ruas da cidade, com apresentações artísticas, instalações e comida de rua. Quase não gostei, né? Fui todas as noites, hehe, e pisei pela primeira vez em uma “silent disco“, uma discoteca em que você coloca fones de ouvido e escuta o que os DJs estão tocando, mas que para quem está do lado de fora, parece um monte de gente doida cantando e dançando ao som de nada.

Bom, mas tirando o Fringe Festival, Perth tem bares e baladas que funcionam a noite toda, festas, e restaurantes típicos para se acabar de comer. Então, se você não for entre os meses de janeiro e fevereiro, não se preocupe, pois não faltarão atividades para preencher a viagem.

Kings Park, em Perth (Foto: Thaís Sabino)

O que fazer em Perth?
Elizabeth Quay é um dos pontos que eu indico para começar a viagem por Perth. Lá você vai encontrar cafes, boutiques e restaurantes super estilosos; a Bell Tower; e ter uma bela vista do Swan River. Dá para aproveitar a caminhada até Elizabeth Quay para explorar um pouco do centro de Perth e conhecer o Kings Park, onde fica o jardim botânico da cidade. Eu fiz tudo andando, mas você pode pegar o ônibus chamado CAT, que é gratuito na região central.

Cottesloe beach, em Perth (Foto: Thaís Sabino)

Antes de embarcar, ouvi dizer que o mar de Perth era mais quente do que o de Melbourne. Não podia deixar de experimentar e comprovei a teoria. A cidade é banhada pelo Oceano Índico, e não pelo Pacífico, como a costa leste. Aliás, as praias da costa oeste “deram um banho” nas vizinhas do outro lado do país. São paradisíacas! A mais famosa é Cottesloe, que tem água limpa e de cor deslumbrante. O mar é calminho e ótimo para nadar.

Visitei também Scarborough, em que o mar é mais agitado e bom para surfe; Sorrento, considerada uma das melhores praias de Perth, com ondas bem tranquilas, praticamente marolinhas; e Yanchep lagoon, mais ao norte, que é realmente uma piscina no meio do oceano. As praias de Perth têm areia fininha e dourada, e geralmente contam com sorveterias e restaurantes ao longo da rua principal.

Yanchep lagoon, em Perth (Foto: Thaís Sabino)

A cerca de 30 minutos do centro de Perth, está a charmosa cidade Fremantle. Cafes, bares e restaurantes com mesinhas nas ruas, exposições de arte no calçadão e construções antigas compõem esse lugar desenhado no capricho. De manhã, o mercado de Fremantle é a principal atração, mas a cidadezinha merece uma visita também para curtir uma vida noturna sofisticada no oeste.

A agitação, mesmo, acontece no bairro Northbridge, perto do centro de Perth. Conversei com alguns moradores da cidade e eles me disseram que Northbridge concentra os melhores bares, baladas, cafes e restaurantes da cidade. A festa lá não tem hora para acabar. Durante o dia, dá para visitar em Northbridge o teatro de Perth, a Art Gallery of Western Australia, o Western Australia Museum e a biblioteca da cidade.

Fremantle, Oeste Australia (Foto: Thaís Sabino)

Fremantle, Oeste Austrália, (Foto: Thaís Sabino)

Reserve um dia para conhecer Rottnest Island, uma ilha vizinha de Perth. Passei o dia lá pedalando e fazendo snorkelling em praias lindas. Mas essa história vou contar para vocês em outro post…

QUER AJUDA PARA SUA PRÓXIMA VIAGEM?

QUER AJUDA PARA SUA PRÓXIMA VIAGEM?

Entre em contato, opine e participe com sugestões para o blog

Sending

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *