Já pensou em trabalhar em iate de luxo e viajar pelo mundo?

Trabalhando em um iate de luxo e viajando pelo mundo (Foto: Augusto Schlieper)

Você tem um amigo que te faz viajar com as fotos que ele posta no Instagram? Pois é, já faz quase um ano que stalkear uma amiga virou um hobby. Ela decidiu largar tudo e dedicar 2016 a trabalhar em um iate de luxo e viajar pelo mundo. Nada mal, né? E é a história dela que vou contar hoje. Conheci Magda Hino, Mag para os amigos, em 2014 na Nova Zelândia. Trocamos telefone na mesma noite e foi um ano de encontros, conversas, churrascos e muitos “gurias” do linguajar curitibano dela. Eu fui embora para fazer um mochilão e ela ficou. E foi no final de 2015, em uma conversa via Skype, que ela revelou os motivos.

Mag tem 31 anos e estava confusa e insatisfeita com a vida e São Paulo. Mudar para Nova Zelândia não proporcionou o autoconhecimento que ela estava buscando, mas mostrou o caminho. Ela estava trabalhando na marina de Auckland, em uma cafeteria, e a ideia de “velejar pelos mares desse mundo em um iate de luxo” tomou conta dos planos da guria. Foi nessa conversa que soube dos planos, ainda meio crus, naquele momento. Pelo menos era o que eu pensava.

Se tem uma coisa que Mag sempre mostrou quando estávamos na Nova Zelândia foi garra. Ela corria atrás, resolvia, tinha dois empregos, se virava. Com a história do iate de luxo não podia ser diferente. Ela fez o curso STCW de sete dias sobre técnicas de sobrevivência em casos de desastre, combate a incêndio, primeiros-socorros e relacionamento inter-pessoal. Pouco tempo depois, foi contratada por um dos iates “mais incríveis do mundo”. Quando me dei conta já estava admirando as fotos dos paraísos que ela publicava no Instagram.

Quando Mag visitou Papua New Guinea

Mag passou por ilhas totalmente inexploradas, visitou Nova Calêdonia, Vanuatu, Ilhas Salomão, Papua Nova Guiné e Indonésia. “Foi a experiência mais incrível da minha vida”, palavras dela. “Uma das coisas que aprendi é ver beleza nas coisas mais simples da vida, em cada sorriso das crianças locais, em cada mergulho no mar”, contou. Mag encontrou o autoconhecimento que estava procurando e dá pra “ver” isso de longe. Ainda não nos reencontramos pessoalmente, ela está em uma viagem pela Ásia e eu aqui na Austrália, mas nada como a tecnologia para dar uma mãozinha.

A parte romântica da coisa eu contei, né? Mas e como é trabalhar em um iate de luxo, quais são os cargos e o salário para trabalho em um mega iate?

A primeira vez que Mag atravessou a linha do Equador (Foto: Augusto Schlieper)

Trabalhar em iate de luxo

O pefil procurado para trabalhar em um mega iate é de pessoas fáceis de lidar e dispostas a trabalhar bastante. É preciso ficar à disposição em tempo integral para os hóspedes. “Acordamos antes que eles, vamos dormir depois que eles”, disse Mag. Entre as funções em um iate, Mag citou comissária de bordo, capitão, marinheiro, engenheiro, entre outros. Como comissária de bordo, ela era responsável portudo em relação aos hóspedes e ao interior do barco, por exemplo, servir refeições, decorar mesas, cuidar da lavanderia, acompanhar nos passeios, etc.

Entre os contras, Mag citou o desafio de conviver 24 horas com as mesmas pessoas em um espaço pequeno e a falta de privacidade. “A gente fica preso ao barco, não é igual a um trabalho normal em que você trabalha oito horas e vai para casa”, disse ela. A parte boa é o gordo salário inicial de cerca de R$ 9 mil e a oportunidade de viajar pelo mundo. Se ela recomenda? Sem pestanejar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *