Holambra: conheça a cidade mais holandesa do Brasil

Casinhas coloridas imitam tradicionais construções de madeira de Amsterdam (Foto: Thaís Sabino)
Casinhas coloridas imitam tradicionais construções de madeira de Amsterdam (Foto: Thaís Sabino)

Você sabe o que quer dizer Holambra? É a combinação das palavras “Holanda + América + Brasil”. A primeira vez que me interessei por Holambra foi quando fiz uma amiga de lá. Nas minhas últimas férias, resolvi conferir o que a cidade das flores, a apenas 120 quilômetros da capital paulista, tem de bom. Por coincidência, era véspera do aniversário de 25 anos de emancipação dela, mas mesmo com uma agenda de eventos para a celebração, a calmaria imperava nas ruas. Holambra é pequenina em número de habitantes, menos de 12 mil pessoas vivem lá, mas é o maior centro de produção de flores e plantas ornamentais da América Latina e onde acontece todo mês de setembro a famosa Expoflora, que recebe mais de 300 mil visitantes por edição.

Portal de Holambra, cidade que se tornou colônia holandesa após a Segunda Guerra Mundial (Foto: Thaís Sabino)
Portal de Holambra, cidade que se tornou colônia holandesa após a Segunda Guerra Mundial (Foto: Thaís Sabino)
Decoração de ruas e praças remete às tradições holandesas (Foto: Thaís Sabino)
Decoração de ruas e praças remete às tradições holandesas (Foto: Thaís Sabino)
Decoração de ruas e praças remete às tradições holandesas (Foto: Thaís Sabino)
Decoração de ruas e praças remete às tradições holandesas (Foto: Thaís Sabino)

As ruas de Holambra são arborizadas e povoadas por passarinhos de diferentes cantos, os lagos são cercados por espaços para a população se distrair e não é à toa que a cidade se destaca pela alta qualidade de vida e melhor índice de segurança do Brasil: tudo parece funcionar. Isso sem falar nas flores, que não poderiam faltar na casa de imigrantes holandeses, certo? As praças são coloridas por diferentes espécies, porém a tradicional tulipa não “dá no clima de Holambra”, segundo os locais. Você pode contratar um tour guiado para apreciá-las.

Tão perto de São Paulo e com um ar completamente diferente. Fui com uma prima e minha mãe e até perto da hora do almoço o assunto foi “como um lugar pode ser tão sossegado”. Holambra é considerada uma estância turística e sem dúvida é um excelente destino para sair um pouco do cinza das grandes cidades. E, claro, conhecer um pouco da cultura holandesa. Em 1948, com o fim da Segunda Guerra Mundial, cerca de 500 imigrantes da Holanda se instalaram no local. É possível ver as casinhas coloridas de madeira de Amsterdã, moinhos de vento e os famosos tamancos de madeira, Klompen, ilustrados em telefones públicos e praças.

Moinho em Holambra (Foto: Thaís Sabino)
Moinho em Holambra (Foto: Thaís Sabino)
Moinho de 38 metros construído por um holandês (Foto: Thaís Sabino)
Moinho de 38 metros construído por um holandês (Foto: Thaís Sabino)

O que fazer em Holambra? O Moinho dos Povos Unidos, um monumento holandês de 38 metros de altura, é um ponto interessante para começar o passeio por Holambra. O lugar é lindo! Ao lado fica o Núcleo de Artesãos da cidade, caso queira levar uma lembrancinha para casa, aproveite. O Museu da cidade reúne a história dos imigrantes e como a antiga fazenda Ribeirão se tornou a colônia holandesa. A Praça Vitória Régia, onde fica o lago de mesmo nome, foi o meu local favorito. A vista é bonita e tem uma trilha para caminhar ao redor do lago. É ali perto que está o Deck do Amor, onde casais colocam cadeados presos à cerca para selar a união: tem banquinhos e música para inspirar o clima romântico.

Deck do Amor (Foto: Thaís Sabino)
Deck do Amor (Foto: Thaís Sabino)
Lago Victória Régia (Foto: Thaís Sabino)
Lago Victória Régia (Foto: Thaís Sabino)
Casais colocam cadeados presos à cerca para selar união (Foto: Thaís Sabino)
Casais colocam cadeados presos à cerca para selar união (Foto: Thaís Sabino)

O portal da cidade também é um ponto turístico famoso. Holambra ainda conta com praças e outros lagos, como o lago do Holandês e a Nossa Prainha – que valem uma visita -, cachaçaria, cervejaria e ranchos para conhecer a fauna local. O centrinho da holanda brasileira é uma gracinha e lá você pode encontrar restaurantes, cafés, docerias e lojinhas de souvenir. Eu almocei no Casa Bela, um restaurante com comida típica e outras opções para quem não quiser se aventurar, pratos prontos e buffet, além de mesinhas espalhadas na calçada cobertas por ávores e todo o charme “holambrês”. Experimentei salsichão, com purê de maçã e salada de batata: aprovado!

Como sobremesa, recomendo sorvete de rosas (é bastante doce) ou ainda o tradicional stroopwafel acompanhado de um café: coloque o waffle de caramelo sobre a xícara e aguarde alguns minutos até o recheio derreter. Vai ser difícil parar de comer!

No centrinho de Holambra (Foto: Thaís Sabino)
No centrinho de Holambra (Foto: Thaís Sabino)
No centrinho de Holambra (Foto: Thaís Sabino)
No centrinho de Holambra (Foto: Thaís Sabino)
No centrinho de Holambra (Foto: Thaís Sabino)
No centrinho de Holambra (Foto: Thaís Sabino)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *