Por que viajar sozinha pode ser a melhor experiência da sua vida?

Em Fraser Island, na Austrália
Em Fraser Island, na Austrália

Tenho um amigo que sempre dizia “viajar sozinho é a melhor coisa do mundo”, mas por anos eu enxerguei como sinal de solidão. Quantos lugares deixei de visitar por falta de companhia… pura estupidez. O dia em que decidi viajar sozinha descobri sobre o que ele tanto falava. Pode bater uma solidão, sim, é verdade, mas é uma experiência de autoconhecimento e liberdade sem igual. No final, o significado de solidão se transformou, nunca mais me senti sozinha, aprecio a companhia das pessoas, mas deixei de depender dela.

Viajar sozinha te permite fazer exatamente o que tem vontade. Não tem horários, obrigações, você fala quando quer, interage com quem sente vontade e pode ter seus momentos introspectivos sem pedir licença. Você se permite, realiza desejos, ganha autoconfiança, coragem, derruba barreiras de socialização, e dá menos – ou nenhuma – importância para “o que os outros vão pensar”. O “impossível” é praticamente apagado do dicionário depois de uma viagem sozinha e um leve sentimento de onipotência é despertado pelas barreiras superadas, que são muitas.

Vilarejo flutuante, no Camboja
Vilarejo flutuante, no Camboja

Sim, viajar sozinha não é fácil. Ainda mais se for para um mochilão. Você carrega a tarefa de pesquisa e planejamento de toda a viagem, decide destinos, hospedagem, verba, e tudo mais que envolve a trip. Ainda tem a questão de “ser mulher” e todos os riscos que uma viajante pode enfrentar sem a companhia de um homem para “protegê-la”, não é mesmo? Ô, mundo machista! Perdi a conta de quantas pessoas me alertaram sobre perigos e abusos sexuais, e me consideraram “doida” por viajar para Ásia desacompanhada. Essa onda de fragilidade criada sobre “mulher viajando sozinha” colocou mais pressão na organização da minha viagem.

Fiz um mochilão de quatro meses pela costa leste da Austrália, Tailândia, Camboja e Vietnã, e em alguns momentos achei que minha cabeça ia fundir de tanta informação. Comecei a montar o roteiro no mês de junho para embarcar no início de setembro. Quando caí na estrada, encontrei várias “doidas” como eu. Apenas uma brasileira, mas muitas mulheres de países da Europa viajando sozinhas, não pela primeira vez, mas como um hábito cultivado há anos. A insegurança durou uma ou duas semanas, e logo me senti à vontade comigo mesma e pronta para viver a experiência.

Alguns cuidados são importantes, como pesquisar sobre a segurança dos destinos, não ficar dando bobeira em lugares remotos e sempre informar amigos ou parentes sobre onde está, mas não há motivos para uma mulher – ou qualquer pessoa – deixar de viajar por falta de companhia. E garanto que se for a sua primeira viagem sozinha, será uma experiência fantástica.

CONSULTORIA PARA VIAGEM

QUER AJUDA PARA SUA PRÓXIMA VIAGEM?
Sending

16 thoughts on “Por que viajar sozinha pode ser a melhor experiência da sua vida?

  1. Belo relato! Concordo plenamente, deixar de fazer algo por falta de companhia é a maior bobagem. Esse ano fiz minha primeira viagem solitária, fui para Londres e simplesmente adorei! Vivi experiências incríveis, como assistir o show do Coldplay no estádio de Wembley! Mas além disso, já cultivo o hábito de ir ao cinema e já fui a vários shows gigantes de estádio sozinha. Curto a minha companhia e não me sinto sozinha, e sim livre! 🙂

    1. Exatamente, Lidiane. Nossa, demorei tanto tempo para descobrir isso! Tinha aquele pensamento “nossa, mas vou sozinha, vão pensar que não tenho amigos, ou que coisa de pessoa solitária”. Mas é tão bom, dá uma confiança, aprendi mais sobre mim e a me curtir mais. Hoje em dia minha companhia basta 🙂 Ainda não fui ao cinema sozinha, mas está nos meus planos 🙂

    2. Concordo com você Lidiane. Viajo por aí sozinha e vou a lugares que sempre tive vontade sozinha como a Tomorrowland…

  2. Já fiz uma viagem nacional sozinha…foi fantástico. Agora no próximo mês vai ser a primeira Internacional sozinha…vou pro Chile e depois pra Bonito MT. A programação foi feita por mim há alguns meses. E não vejo a hora!!

    1. Cleide dois lugares que quero ir esse ano. Mas estava temerosa em viajar sozinha,ainda estou. Mas vcs mulheres me motivam.

  3. Estar só não corresponde de modo algum a ter solidão. A solidão não existe quando estamos em paz com nós mesmo. Comecei a viajar sozinha muito cedo, por questões de serviço, seminários, congressos, acções de formação etc. Apanhei o gosto pelas viagens . Gosto de conhecer, aprender, ver, contatar com outras civilizacoes, outros credos e por consequencia fazer novos amigos. Assim fui fazendo Embora com familia e amigos, agora que me aposentei e tenho tempo a meu favor, continuo a fazer as viagens que posso. As despesas são o meu único travão. Quando não viajo penso e imagino onde gostaria de ir. Inform-me sobre os locais que gostaria de visitar, lei vejo fotos e isso faz-me sentir que estou a preparar uma determinada viagem que pode ou não concretizqr-se.
    Tenho tido experiênciasorte únicas. Conheci pessoas extraordinárias e fiz amizades que deixam muito boas recordações.
    O género feminino viagem mais em lazer, sem companhia que o género oposto. As razões serão muitas, talvez comodismo, ou falta de iniciativa.
    Não se pode de modo algum deixar de viajar porque não temos companhia. Quando viajamos sós, sentimos uma liberdade incondicional ao tomar as nossas decisões e isso da-nos auto confiança ajudando a fortalecer a nossa personalidade.
    Fui sozinha para o Norte da Índia em Fevereiro deste ano. Encontrei duas pessoas com o mesmo espírito que eu. Combinámos encontramo-nos no próximo mês de Fevereiro em Bali. Já estou a colher informação sobre o meu próximo destino. Vai ser mais uma viagem de sonho.

    1. Gostaria muito de conhecer Bali. Também aposentei agora. Já viajei sozinha para alguns lugares. Agora aposentada ninguém me segura.

  4. Nossa amiga, tem tempo que eu planejo mas nunca consigo fazer uma viagem dessas.
    Sempre tem algo dos filhos, ou o marido combina algo, casamento de amiga, parente, ai credo…
    e as vezes bate um friozinho na barriga tb.
    Enfrentar sozinha assim deve ser um pouco tenso, não?
    Adorei o texto e vou tentar em breve fazer uma viagem sozinha pra ver, ai te conto.
    Parabéns pelo site!

    1. Oi Maria tudo bem?

      Obrigada por acompanhar o blog!!! Aim, é difícil tomar a decisão, fazer as malas e ir.. eu levei anos e sempre tinha aquele pensamento “mas viajar sozinha, será”…. Depois dessa experiência me senti muito mais independente. Claro que companhia é sempre bom, mas não quer dizer que seja essencial. Me conte, sim!!!! Um beijo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *