Kaitangata: a verdade sobre a cidade que busca moradores na Nova Zelândia

 

Clutha NZ (Foto: Reprodução)
Clutha NZ (Foto: Reprodução)

Nos últimos dias, recebi vários e-mails com dúvidas sobre a “oferta dos sonhos” da cidadezinha Kaitangata, na região de Clutha, em Otago, na Ilha Sul da Nova Zelândia. Lembro de ver a notícia nas redes sociais e depois receber um e-mail, dois, três… e por aí vai. O anúncio feito pela administração de Kaitangata foi um boom mundial! A prefeitura se uniu a empresários em uma campanha para atrair moradores, exaltando a quantidade de empregos – alguns com salários de NZD 50 mil – e preços atrativos de moradia na região. A notícia se espalhou, com algumas distorções, e levou uma enxurrada de pessoas do mundo todo a entrar em contato.

Entre as distorcões, está o pagamento de um bônus de NZD 160.000 para quem quiser morar em Kaitangata. O boato já foi esclarecido pela prefeitura Clutha e NÃO  há prêmio em dinheiro para quem mudar para a pequena cidadezinha. A existência de casas a preços bem mais baixos do que os encontrados em cidades grandes, como Auckland, porém, foi confirmada, assim como facilitações na aquisição da nova propriedade. Uma casa com três quartos e terra para montar o próprio negócio custa NZD 230.000. A prefeitura segurou a venda das propriedades até o final dessa semana por medo de investidores – mais de 20 estrangeiros entraram em contato – se aproveitarem da oferta.

A mídia local estima que a região precise de mais de 1 mil trabalhadores. Muitos dos empregados em Kaitangata viajam cerca de uma hora partindo de Dunedin e outras cidades no entorno. Nos últimos dias, a administração local recebeu mais de 10 mil pedidos de residência de várias partes do mundo, sendo a maioria da Síria, Polônia, Estados Unidos e Reino Unido. O prefeito da região, Brian Candogan, afirmou à imprensa que os moradores estão animados com retorno que o anúncio está tendo e que o número de interessados não era esperado.

É importante lembrar, porém, que o anúncio foi feito para divulgar a situação de Kaitangata e atrair moradores da Nova Zelândia para o local. A oferta de emprego e moradia existe, mas para estrangeiros o processo de aplicação de visto de trabalho e residência permanente continua o mesmo, administrado pelo governo do país. Se você não é residente, terá que encontrar uma oferta de trabalho que se encaixe na sua qualificação, fazer exames médicos e seguir todos os passos necessários para adquirir o Work Visa, como um trabalhador estrangeiro em qualquer outra parte da Nova Zelândia.

Kaitangata sofre falta de mão de obra por conta do envelhecimento da população e baixa taxa de natalidade, tem apenas 800 habitantes, um semáforo, uma escola, um bar e uma pizzaria.

CONSULTORIA PARA VIAGEM

QUER AJUDA PARA SUA PRÓXIMA VIAGEM?
Sending

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *