Saint Martin e Saint Marteen no Caribe

Maho beach – St. Marteen

Saint Martin ou Sint Marteen – depende do lado em que se está da ilha – foi a última parada do cruzeiro, também a mais aguardada pelos jornalistas que estavam comigo e, claro, por mim. A ilha está localizada nas Antilhas Neerlandesas e é dividida em dois territórios, um colonizado pela Holanda e outro pela França. Sempre pensei em passar a lua-de-mel ou férias românticas em um lugar assim. Natureza, calor, praia e paz ao lado de uma pessoa especial, precisa de mais alguma coisa? Não foi desta vez, mas aos pombinhos que procuram acender a paixão: eu recomendo!

Desembarcamos do lado holandês, ou seja, em St. Marteen. No mês de agosto, quase início de setembro, o calor é intenso, termômetros acima dos 30°C. Protetor solar, óculos escuros e até um chapéu são itens bastante úteis para visitar a ilha. Pertinho do porto existem lojinhas e um grande mapa das praias com informações sobre táxis, os trajetos e preços por quilômetros percorridos. É dali também de onde partem uma espécie de táxi sobre o mar, que leva turistas a várias praias da ilha. Como tínhamos pouco tempo, escolhemos passear via terrestre e fechamos o preço por pessoa, com uma moça que estava ao lado do mapa dando informações, para o táxi – quase um micro-ônibus – nos levar até Maho beach.

Aqui vai a primeira dica: as companhias de táxi fazem desconto para grupos de pessoa, então, quanto mais, melhor, ou seja, mais barato por cabeça. A segunda é: depois de fechar o preço com a atendente que fica circulando pelas ruas em busca de passageiros, confirme-o com o motorista. A cobrança só é feita no desembarque e passamos três vezes pelo problema – que na minha cabeça é mais uma espécie de golpe em turistas – de o preço subir na chegada ao destino. O motorista teima que o preço é “x” e as pessoas acabam pagando o valor. Isso foi realmente desagradável, discutimos com um deles e chegaram mais motoristas para comprovar que o preço era o maior. Enfim, fica a dica e vamos continuar para assuntos melhores.

Maho beach – St. Marteen

Por que Maho beach? A cerca de 20 minutos do porto, talvez não seja a praia mais paradisíaca ou deserta – definitivamente estava cheia de gente –, mas é a mais famosa do lado holandês e também é chamada de ”airport bach”. Além da água sempre acima dos 25°C, vista para um mar azul-turquesa e contato com peixes e arraias – eu quase pisei em uma – a praia fica em frente ao aeroporto da ilha. A grande atração é assistir aviões passarem a cerca de 15 metros de altura das cabeças dos banhistas nos pousos ou tentar se manter em pé com a corrente de ar formada pelas turbinas das aeronaves nas decolagens. Apenas uma avenida estreita e um alambrado separam a areia da pista.

Maho beach – St. Marteen

Ficamos poucas horas lá, mas vimos mais de quatro aviões chegarem. De longe, mesmo no mar, a certeza é de que a aeronave vai cair no meio da praia e causar uma tragédia. A maioria dos banhistas corre para filmar ou tirar fotos com o avião passando no fundo da imagem. Antes de escolher Maho beach como ponto imperdível, pesquisei alguns vídeos na internet: são as decolagens que mais atraem visitantes. Quando o avião liga as turbinas – se for de grande porte – provoca uma corrente de vento que chega a derrubar as pessoas que estão caminhando na areia. Os mais aventureiros seguram no alambrado para sentir a “brisa” de forma mais intensa. Infelizmente, no tempo em que permaneci na praia não consegui acompanhar a cena ao vivo. Os horários de voos estão todos em uma prancha ao lado do barzinho à beira-mar Sunset, quem sabe você tenha mais sorte, só cuidado para não se machucar nas pedras camufladas pela areia.

Orient Bay – St. Martin

De Maho beach, pegamos um “táxi-van” até a praia Orient Bay, no lado francês da ilha. Segundo os locais, é a mais famosa da região e tem uma parte em que se pratica nudismo. Passamos por lugares bem simples, ruas de terra cercadas por gramas que, aparentemente, estavam há tempos sem aparar e levamos cerca de 30 minutos até chegar ao destino. O caminho não é nada bonito, mas vale a pena no final. Maravilhosa seria uma palavra pouco digna para descrever tamanha beleza da praia Orient Bay. A vista é surpreendente e o mar parece ainda mais azul. Entre os bares à beira-mar, recomendo o Aloha. Os motivos? O cliente ganha um drinque ao pagar US$ 10 pela espreguiçadeira, tem acesso à internet gratuito e o atendimento é ótimo. Além disso, a decoração do bar é de muito bom gosto. Para relaxar, passam mulheres o tempo todo oferecendo massagem.

Aloha bar em Orient Bay

Não sei se já estava anestesiada de tantos lugares paradisíacos que tive a oportunidade de conhecer nos últimos dias, mas fico sem palavras para demonstrar que Orient Bay foi a praia que mais gostei de toda a viagem, sem repetir os elogios feitos às outras da viagem. Maho beach é legal para matar a curiosidade, mas, se soubesse antes da beleza da praia do lado francês teria reservado mais tempo para ficar por lá. Quanto ao mar: pense em água translúcida, temperatura agradável, tranquilidade de uma piscina e uma vista que faz você repensar os valores da vida. É isso que eu senti na imensidão da beleza que a natureza tem para oferecer. Antes de ir embora, experimente um drinque de goiaba característico da região.

Lojinha que vende o drinque de goiaba

2 thoughts on “Saint Martin e Saint Marteen no Caribe

  1. Olá. Gostaria de saber se vc lembra quanto foi por pessoa o valor dos deslocamentos de taxi. Vi que você fez o mesmo itinerário que pretendo fazer. Porto -Maho – Orient – Porto

    1. Olá Daniela, tudo bem?

      Já faz algum tempo, mas lembro que era cerca de 13 dólares americanos… o taxista, porém, tentou subir o valor. A melhor coisa é você já fechar com um dos atendentes a turistas da ilha, eles ficam uniformizados recebendo as pessoas. Tem um quadro na entrada da ilha com a tabela de preços do transporte.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *